Metaverso de Zuckerberg: O verdadeiro segredo que você precisa conhecer

Muitos pensam que o Metaverso do Zuckerberg é o futuro da internet. Mas, o conceito impulsionado pelo Facebook tem muito mais por trás da história.

Após Zuckerberg e sua tropa expor a visão do chamado Metaverso, a nova versão do Facebook, o assunto passou a ser um dos mais interessantes no setor da tecnologia.

Em termos práticos, a reformulação da marca formaliza uma mudança que está em andamento há anos. A empresa já tem milhares de pessoas trabalhando nos projetos de realidade aumentada e virtual.

Contudo, impactante mesmo é o anúncio do Facebook de que pretende contratar mais 10 mil novos funcionários na Europa, para impulsionar o Metaverso e impactar de forma direta na geração de empregos.

Quanto o Facebook vai investir no Metaverso?

Conforme informações oficiais anunciadas pela Facebook, a corporação anuncia que deve gastar cerca de 10 bilhões de dólares, somente em investimentos relacionados ao Metaverso, no ano de 2021.

Não se pode ignorar o fato de que o Facebook tem comprado tecnologias e startups de RV para impulsionar a apropriação de recursos ligados ao Metaverso.

O que é o Metaverso de Zuckerberg?

Na visão do dono do Facebook, Metaverso é um mundo virtual limpo e bem iluminado, introduzido primeiro com hardware de realidade virtual e aumentada e sensores corporais mais avançados.

Nesse sentido, o Metaverso pode servir como um mundo às pessoas jogarem jogos virtuais, assistirem a concertos virtuais, realizarem compras, colecionarem arte virtual, se divertir com os avatares virtuais. participar de reuniões de trabalho, entre outras inúmeras atividades com realidade aumentada.

Zuckerberg é o inventor do Metaverso?

Mark Zuckerberg e o Metaverso

Não. Teoricamente o conceito é cunhado por uma obra de ficção científica, do autor Neal Stephenson, de 1992. Contudo, impossível negar que Zuckerberg está entre os principais entusiastas, ao ponto de apostar na tendência como o futuro do Facebook.

O Metaverso será um sucessor da internet móvel, na opinião do dono do Facebook. Mas, será que esse projeto vai dar certo?

A resposta é impossível saber, Mas, atualmente há uma burocracia desajeitada cujos maiores avanços na última década vieram da compra de aplicativos concorrentes ou da cópia de seus recursos, em vez de desenvolver as próprias ideias internas.

Com o Metaverso o próprio Facebook vai criar um universo digital imersivo no qual as pessoas podem passar o tempo.

A mudança do nome do Facebook

facebook muda seu nome para meta

O Facebook agora tem o nome de Meta. A modificação do nome mostra quais planos futuros o grupo de mídia social está buscando. O dono da rede social mais famosa do mundo está com a ambição de conquistar um mundo cibernético interativo denominado como Metaverso.

Para funcionar o Metaverso usa novas tecnologias como Realidade Aumentada e Realidade Virtual.

Na perspectiva de futuro do Facebook, a rede social tem uma chance considerável no sentido de se tornar um mundo em três dimensões. Isso quer dizer que os internautas podem passar tempo e trocar ideias em salas virtuais por meio de óculos de realidade virtual.

Assim como existe a Internet, o Metaverso vai existir com a finalidade de se tornar uma plataforma aberta e independente da empresa.

O que o Metaverso muda para os usuários do Facebook?

mudanças facebook

Praticamente em nada. Os bilhões de usuários de produtos da rede social, o que inclui WhatsApp e Instagram, não devem ser atingidos com a mudança do nome e conceito de Facebook para Metaverso. A mudança afeta apenas o grupo Facebook e os seus colaboradores.

Com o Metaverso, as informações digitais podem ser transferidas de um aplicativo para outro – com a mesma facilidade com que copiamos um texto de um e-mail para o outro hoje. Dessa maneira é possível ter a expectativa de que o Facebook vai otimizar muito o ritmo de trabalho para obter ganhos produtivos.

Qual o impacto do Metaverso para o mercado de trabalho de TI?

De acordo com as informações do blog Facebook, a instituição tem como missão gerar quase 11 mil novos empregos para o novo projeto Metaverso.

Esses números se referem aos trabalhadores da Europa. A própria rede social escolhe o continente europeu em virtude de alta capacidade das universidades.

O total de contratações é uma estimativa para os próximos 6 anos. Mark Zuckerberg já havia indicado antes que vê o futuro da empresa na expansão de um Metaverso. Agora o projeto para expandir é oficial.

A Europa tem muitas vantagens que a tornam um excelente local de investimento para empresas de tecnologia nos últimos anos.

De fato, ainda não se sabe em quais locais o Facebook vai investir no novo projeto. Mas, por exemplo, a Alemanha é uma base importante para a ciência e tecnologia que deve receber uma boa parte das vagas de emprego do Metaverso.

Metaverso vai funcionar?

Na verdade o futuro é uma incógnita até para o Metaverso. Isso porque de uma maneira geral as tecnologias de RA e RV ainda estão muito longe de estarem desenvolvidas com excelência.

Portanto é possível especular sobre as possibilidades que o mundo virtual oferece para que o Metaverso se torne uma realidade.

Mas, uma coisa está certa. O sonho de Mark Zuckerberg e dos colegas no Vale do Silício é viabilizar tudo que está sendo feito na tela hoje como uma prática possível no espaço tridimensional, num futuro próximo.

Um funcionamento interessante do Metaverso está nos óculos RA. Com eles, você passeia por lojas, faz reuniões em salas virtuais e projeta amigos como hologramas na sala de estar!

O Facebook vai ter mais controle dos usuários com o Metaverso?

O Facebook vai ter mais controle dos usuários com o Metaverso?

O Metaverso significa ainda mais controle para o Facebook. Em termos práticos, a empresa já trabalha há tempos em recursos para rastrear o comportamento do usuário em páginas vinculadas à rede social.

Com certeza a evolução do Metaverso aumenta muito mais não apenas a velocidade como também a quantidade de dados que podem ser coletados sobre as pessoas.

O Metaverso aparece numa época em que a marca sofre com uma intensa pressão global. Há pouco tempo um gerente que trabalhava na empresa fez uma denúncia de que a marca sabia por pesquisas que o Instagram não era bom para a saúde mental de alguns adolescentes.